Dream Land

Dream Land Christina Rossetti Where sunless rivers weep Their waves into the deep, She sleeps a charmed sleep: Awake her not. Led by a single star, She came from very far To seek where shadows are Her pleasant lot. She left the rosy morn, She left the fields of corn, For twilight cold and lorn And water springs. Through sleep, as through a veil, She sees the sky look pale, And hears the nightingale That sadly sings. Rest, rest, a perfect rest Shed over brow and breast; Her face is toward the west, The purple land. She cannot see the … Continue reading Dream Land

Lira dos Vinte Anos – Excerto

“SPLEEN” E CHARUTOS                              Álvares de Azevedo I Solidão Nas nuvens cor de cinza do horizonte A lua amarelada a face embuça; Parece que tem frio e, no seu leito, Deitou, para dormir, a carapuça. Ergueu-se… vem da noite a vagabunda Sem xale, sem camisa e sem mantilha, Vem nua e bela procurar amantes… — É doida por amor da noite a filha. As nuvens são uns frades de joelhos, Rezam adormecendo no oratório… Todos têm o capuz e bons narizes E parecem sonhar o refeitório. As … Continue reading Lira dos Vinte Anos – Excerto

Soneto de Fidelidade

Soneto de Fidelidade Vinicius de Moraes De tudo ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento. Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou seu contentamento E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama Eu possa me dizer do amor (que tive): Que não seja imortal, posto … Continue reading Soneto de Fidelidade

Metal Contra As Nuvens – Renato Russo

Não sou escravo de ninguém Ninguém, senhor do meu domínio Sei o que devo defender E, por valor eu tenho E temo o que agora se desfaz. Viajamos sete léguas Por entre abismos e florestas Por Deus nunca me vi tão só É a própria fé o que destrói Estes são dias desleais. Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão. Reconheço meu pesar Quando tudo é traição, O que venho encontrar É a virtude em outras mãos. Minha terra é a … Continue reading Metal Contra As Nuvens – Renato Russo

Por Enquanto

Mudaram as estações E nada mudou Mas eu sei Que alguma coisa aconteceu Está tudo assim tão diferente… Se lembra quando a gente Chegou um dia a acreditar Que tudo era prá sempre Sem saber Que o pra sempre Sempre acaba… Mas nada vai Conseguir mudar o que ficou Quando penso em alguém Só penso em você E aí então estamos bem… Mesmo com tantos motivos Prá deixar tudo como está E nem desistir, nem tentar Agora tanto faz Estamos indo de volta prá casa… Renato Russo Continue reading Por Enquanto

Amor É Fogo Que Arde Sem Se Ver

Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; É um andar solitário entre a gente; É nunca contentar-se de contente; É um cuidar que se ganha em se perder. É querer estar preso por vontade É servir a quem vence o vencedor, É ter com quem nos mata lealdade. Mas como causar pode seu favor Nos corações humanos amizade; Se tão contrário a si é o mesmo amor? Luís Vaz de Camões Continue reading Amor É Fogo Que Arde Sem Se Ver

Friends

 Crazy & Saints – Oscar Wilde   I choose my friends not by their skin or other archetype, but by the pupil. They have to have questioning shine and unsettled tone. I’m not interested in the good spirits or the ones with bad habits. I’ll stick with the ones that are made of me being crazy and blessed. From them, I don’t want an answer, I want to be reviewed. I want them to bring me doubts and fears and to tolerate the worst of me. But that only being crazy. I want saints, so they daunt doubt differences and … Continue reading Friends